POLUIÇÃO DOS SOLOS EM HORTAS URBANAS

Materiais pesados como chumbo, cádmio, cobre ou zinco podem estar presentes nos solos urbanos. Isso significa que as hortas urbanas são más para a nossa saúde? Não exactamente...
Recentemente, uma equipa de investigadores da Universidade de Aveiro, alertou para a necessidade de avaliar e regular a qualidade dos solos utilizados para as hortas urbanas, nas cidades portuguesas.
Materiais pesados como chumbo, cádmio, cobre ou zinco podem estar presentes no solo tornando-se um risco para a saúde pública a ingestão de produtos cultivados nestas terras contaminadas.

Este problema não é exclusivo das cidades portuguesas, as análise feitas às amostras de solo demonstraram valores comparáveis aos observados noutras cidades europeias. Mas, os investigadores chamam a atenção para que, em Portugal, ao contrário de alguns países da UE, não estão definidos limites, procedimentos de avaliação ou critérios de remediação de solos contaminados.

O acúmulo de lixo doméstico ou entulho de obras, o descarte de produtos químicos industriais, a infiltração de águas pluviais contaminadas ou a simples utilização de pesticidas ou herbicidas, são alguns dos principais agentes poluidores do solo. E já que a história das nossas cidades é longa, e nem sempre sabemos o passado do solo que pisamos, é difícil garantir que a estrutura natural deste não sofreu agressões.

Isso significa que as hortas urbanas são más para a nossa saúde? Longe disso, elas promovem não só a alteração dos hábitos, a produção e consumo local dos alimentos, como a substituição de terrenos inutilizados por áreas produtivas e com biodiversidade. Além disso, não há problemas sem solução, tomando algumas precauções ou utilizando alguns métodos ou equipamentos pode se ter uma horta saudável em plena cidade.

Fazer uma análise ao solo para detecção de metais pesados é uma forma de ter a garantia e segurança que pode começar a cultivar, algumas entidades oficiais fazem esse tipo de analises. A construção de camas de cultivo ou mesmo de sistemas de horta verticais, são uma boa solução, já que separam a área possivelmente contaminada da área de cultivo, podendo ser utilizado nestas um substrato adequado e livre de qualquer contaminação.
Nesse contexto, a solução mais prática é a utilização de equipamentos já pensados para esse efeito, como é o caso da Growbed e do Growpocket.

Instalar a horta no topo dos edifícios é outro factor benéfico uma vez que os metais pesados presentes na poluição automóvel, por serem mais pesados que o ar, permanecem ao nível da rua. Lavar bem as mãos depois do contacto com o solo e limpar bem os alimentos antes de os consumir é outro hábito a ter sempre em conta para evitar a ingestão de substâncias nocivas para a saúde.

Compartilhar esta postagem